Sabemos que consumir vinho no Brasil nunca foi uma prática muito barata. Mas o que nem todos sabem é que metade do preço pago pela garrafa significa imposto. E isso acontece com diversos produtos importados, considerados “supérfluos”.

Embora o governo esteja buscando acordos internacionais para reduzir os impostos do produto, ainda estamos longe de termos preços acessíveis se comparado a Europa, onde os impostos para produção de vinho são bem menores e ainda recebem subsídios do governo. Isso porque na maioria dos países europeus, vinho é considerado alimento. Faz parte de uma prática diária. Quando se tem refeição, tem vinho e ponto!

Em Portugal, por exemplo, cada pessoa consome em média 54 litros de vinho por ano, na França, fica próximo aos 52 litros. E o interessante é que grande parte desse consumo é de vinhos simples e baratos, porém de boa qualidade.

A cada ano que passa o Novo Mundo também vem aumentando a sua taxa de consumo e acordo com pesquisas, no Brasil, o Rio de Janeiro se destaca no consumo de vinhos, grande parte desse volume é do tipo “Reservado” (nomenclatura para vinhos sem passagem em barrica). Mas os altos preços continuam sendo uma grande barreira na hora da compra. Para facilitar vida de quem procura um vinho “honesto”, ou seja, simples e barato, porém de boa qualidade, preparei algumas dicas que podem auxiliar na hora de escolher o produto. Confira:

Dicas para ajudar na escolha do vinho:

1ª – Uma regra básica é não ter preconceitos, faça sempre novasexperiências!

2ª – Outra boa dica é escolher pela uva característica de cada região produtora. Um exemplo é a uva Malbec, que é ícone na Argentina. Já no Uruguai, é a Tannat e no Brasil, a Merlot. Dessa forma você fará ótimas escolhas com preços excelentes.

3ª – Não escolha vinhos com alta pontuação em prêmios. Embora seja uma garantia de vinho bom, nem sempre é uma boa opção de preço. Encontramos ótimas vinícolas que estão próximas a outras produtoras renomadas e possuem as mesmas condições de cultivo e terroir, com qualidade similar e preços muito mais acessíveis.

4ª: Não se deixe levar pela aparência da embalagem. Já ouviu dizer que garrafas com furo grande no fundo são melhores? Isso não é uma regra a se levar em consideração. Nem todo rótulo simples tem vinhos ruins, mas dificilmente quem faz uma embalagem de qualidade vai ter um produto ruim.

5ª – Anote ou tire foto do vinho que gostou. Quando for comprar, mostre ao profissional do vinho esse rótulo. Ele vai poder te indicar vinhos similares em aromas, sabores e preços.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Go top
WhatsApp chat